fbpx

São Francisco de Assis

  • Festa litúrgica: 4 de outubro
  • Padroeiro (a): Dos animais e do meio ambiente.
São Francisco de Assis nasceu em 1181 ou 1182, morreu em 3 de outubro de 1126 e foi canonizado em 16 de julho de 1228. São Francisco, após uma juventude desregrada e liberal, voltou-se ao serviço de Deus e fez voto de pobreza, doando as roupas do próprio corpo, renunciando à herança e saindo, nu, para se dedicar aos pobres e aos doentes, especialmente aos leprosos. Antes que entrasse em qualquer ordem, teve diversos problemas com seu pai, que não admitia que o filho doasse o dinheiro que lhe dava ou se desfizesse dos bens da família para ajudar os mais necessitados ou as causas que São Francisco achava justas, como a reconstrução da Igreja de São Damião, onde teve sua primeira visão de Jesus. Mais tarde, fundou a Ordem dos Franciscanos, também conhecida como Ordem Mendicante dos Frades Menores. Ao contrário dos outros religiosos do seu tempo, que pregavam em seus mosteiros, São Francisco levava a palavra de Deus até aos fieis e falava que a Criação era boa e maravilhosa, o que contradizia os ideais da época, e simbolizava a volta à inocência de Adão e Eva antes da queda. Saiu em diversas missões de evangelização e fez muitas peregrinações. Além disso, dedicou-se aos pobres e amou todas as criaturas. Dois anos antes de sua morte, recebeu os estigmas de um serafim que o visitou durante uma oração. Foi tido como um dos maiores santos do Cristianismo durante sua vida, algo que permanece até os dias de hoje. No momento de sua morte, os estigmas desapareceram de seu corpo e um bando de pássaros pousou no telhado e cantou. Seu corpo repousa na basílica de Assis desde 1230.
Em sua imagem, o hábito marrom simboliza a Ordem dos Franciscanos, fundada por ele, e sua consagração a Deus; o cordão em sua cintura faz parte do hábito e se refere aos votos de obediência, pobreza e castidade; as feridas são os estigmas de Cristo que recebeu em vida; o terço corresponde à sua devoção a Virgem Maria; a Bíblia em suas mãos corresponde à sua sabedoria, que advém da Palavra de Deus; a cruz indica seu sofrimento durante a vida e a vitória sobre a morte; e os pássaros são seu amor por toda a Criação.
Senhor fazei de mim um instrumento de Tua paz (4x)
Onde houver ódio, que eu leve o amor
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão
Onde houver discórdia, que eu leve a união
Onde houver dúvida, que eu leve a fé
Senhor fazei de mim um instrumento de Tua paz (4x)

Onde houver erro, que eu leve a verdade
Onde houver desespero, que eu leve a esperança
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria
Onde houver trevas, que eu leve a luz
Mestre, fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado
Compreender, que ser compreendido
Amar, que ser amado
Pois é dando que se recebe
É perdoando que se é perdoado
E é morrendo que se vive para a vida eterna

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp